Como funciona a taxa de performance da minha Carteira Magnetis? E o que é linha d’água?

O que é a taxa de performance?

A taxa de performance é o termo utilizado para se referir a cobrança realizada sobre os rendimentos obtidos em um fundo ou carteira de investimento quando os rendimentos superam o benchmark.

Por que existe a taxa de performance?

Quem investe via carteira de investimentos, não precisa decidir em quais ativos o dinheiro será alocado, quem faz isso é a gestora de patrimônio. Esse trabalho é feito para compor portfólios com os melhores produtos e ativos da melhor forma possível. 

A carteira de investimentos possui um determinado benchmark, ou seja, uma referência e rentabilidade pré estabelecida. Assim, quando há um excedente de rentabilidade comparado ao benchmark é cobrado uma taxa de performance. 

Isso quer dizer que: a taxa de performance é uma remuneração ao trabalho executado com entregas excelentes pelo time de gestão. 

Neste cenário, a taxa de performance resulta em um alinhamento de interesse extraordinário, já que só há possibilidade de aumentar a remuneração da Magnetis se a rentabilidade dos investidores aumentar primeiro. Outro nome para a taxa de performance é success fee (taxa de sucesso). 

Como a taxa de performance é cobrada?

Na Magnetis, a taxa de performance é cobrada de maneira automática apenas nos meses de janeiro e julho de cada ano, e em caso de resgate em outros meses.

Essa taxa é cobrada quando os resultados da gestão superam o índice de referência (benchmark) estabelecido. No nosso caso, o benchmark adotado é o IPCA + juros reais de 6 meses. Dessa forma, garantimos que a cobrança da taxa de performance esteja alinhada com o desempenho da carteira em relação a esse referencial.

Qual é o benchmark da Magnetis para cobrança de taxa de performance?

Nosso benchmark é o IPCA + um percentual, equivalente aos juros reais. 

Para calcular esse percentual, utilizamos a curva de juros reais de 180 dias, publicada diariamente pela B3. 

Através desse mecanismo, a Magnetis só cobrará taxa de performance quando o retorno da sua carteira for superior aos juros reais mais a inflação (IPCA) do período. Quanto maior a inflação ou os juros, maior deverá ser o desempenho da sua carteira, e vice-versa. 

Como referência, o benchmark atual seria equivalente a IPCA + 6%, percentual esse que é ajustado diariamente de acordo com as mudanças nas taxas de juros.

O que é linha d’água?

A linha d’água, serve para estabelecer um parâmetro justo de cobrança da taxa de performance.

Se um fundo ou carteira de investimentos tiver uma rentabilidade inferior ao índice de referência do período anterior, a taxa de performance seguinte deverá ser cobrada compensando a diferença do período passado. Pela regra de cobrança da taxa de performance, o valor cobrado incide sobre excedente do benchmark.

Assim, a linha d’água privilegia apenas um desempenho consistente acima do benchmark ao longo do tempo, e evita remunerar bem a gestora por desempenhos circunstanciais.

 

https://youtu.be/i0QyASwxa2U?utm_source=video&utm_medium=youtube&utm_campaign=taxa&utm_content=dezembro-2022

Acompanhe um exemplo mais detalhado abaixo:

Supondo que o investidor aplicou R$ 100.000,00. Nos primeiros 6 meses, sua Carteira apresentou um desempenho de 20%. E, no mesmo período, o benchmark subiu 10%.

Calculamos o desempenho da carteira e do benchmark da seguinte forma:

  • Carteira Magnetis: R$ 100.000 *(1 + 20%) = R$ 120.000
  • Benchmark: R$ 100.000 * (1 + 10%) = R$ 110.000
  • Linha d’água corrigida pelo benchmark: R$ 100.000 * (1 + 10%) = R$ 110.000

Neste caso há cobrança de taxa de performance porque a Carteira superou o benchmark e a linha d’água.

  • Taxa de performance: (R$ 120.000 – R$ 110.000) * 0,15 = R$ 1.500.

Assim, dos R$ 10.000 de ganho acima do benchmark, a Magnetis recebe R$ 1.500 (15%) Após o pagamento de taxa de performance, a nova linha d’água passa a ser R$ 120.000.

No segundo semestre, a Carteira apresenta um retorno negativo de -10%, enquanto o benchmark sobe 13%. Temos:

  • Carteira Magnetis: R$ 120.000 * (1 – 10%) = R$ 108.000
  • Benchmark: R$ 120.000 * (1 + 13%) = R$ 135.600
  • Linha d’água corrigida pelo benchmark: R$ 120.000 * (1 + 13%) = R$ 135.600

Neste caso, não há cobrança de taxa de performance porque a Carteira ficou abaixo do benchmark.

  • Taxa de performance: R$ 0,00.

E a linha d’água corrigida permanece R$ 135.600.

No terceiro semestre, a Carteira volta a ter um retorno positivo de 41%, enquanto o benchmark sobe 15%. Portanto:

  • Carteira Magnetis: R$ 108.000 * (1 + 41%) = R$ 152.280,00
  • Benchmark: R$ 108.000 * (1 + 15%) = R$ 124.200
  • Linha d’água corrigida pelo benchmark: R$ 135.600 * (1 + 15%) = R$ 155.940

Neste caso, não há cobrança de taxa de performance porque embora a Carteira tenha superado o benchmark, acabou não superando a linha d’água.

  • Taxa de performance: R$ 0,00.

Todos os exemplos acima são apenas ilustrativos e não consideram aportes e resgates durante os períodos. 

Em quais carteiras a taxa de performance é cobrada na Magnetis?

Na Magnetis ao invés da cobrança da taxa por performance ser realizada por fundo, é realizada sobre o retorno excedente do benchmark da carteira de investimentos. Nesse quesito se enquadram as carteiras;

  • Carteira 1;
  • Carteira 2;
  • Carteira 3;
  • Carteira 4;
  • Carteira 5.

Excluindo-se a parcela investida na Previdência Magnetis.

Dessa forma, garantimos que a cobrança da taxa de performance só ocorrerá quando o resultado geral da carteira superar a linha d’água, fazendo com que o resultado da carteira de investimentos dos clientes seja mais consistente do que na incidência de taxa de performance sem o mesmo mecanismo. 

Qual a diferença entre a taxa por performance e a taxa de gestão?

A taxa de gestão é cobrada sobre o valor total do investimento mantido na gestora pelo cliente, ou seja, a soma do valor investido mais o rendimento obtido. Essa taxa custeia todo o trabalho que envolve a gestão dos investimentos, é fixa e é expressa como uma porcentagem. 

No entanto, como devolvemos 100% dos rebates e fundos de terceiros, a taxa de gestão bruta corresponde a 0,50% ao ano, mas com a devolução dos rebates, a taxa de gestão líquida poderá ser muito menor. 

Já a taxa de performance é cobrada somente sobre o excedente do benchmark. Abaixo você consegue conferir como era a cobrança de taxa por segmentos e qual a nova forma de cobrança a partir de 1 de janeiro de 2023:

Segmento Taxa de gestão fixa anterior

(sem taxa de performance)

Nova taxa de gestão Nova taxa por performance
Infinity 0,80% 0,50% 15% sobre o retorno da carteira acima do IPCA + juro real de 180 dias (considerando a linha d’água).
Advisor  0,60% 0,50% 15% sobre o retorno da carteira acima do IPCA + juro real de 180 dias (considerando a linha d’água).
Digital 0,60% 0,50% 15% sobre o retorno da carteira acima do IPCA + juro real de 180 dias (considerando a linha d’água).

É possível que eu pague taxa de performance mesmo que a minha carteira esteja abaixo do CDI?

Utilizamos o benchmark IPCA+juros de 6 meses para garantir um alinhamento mais forte com os retornos reais. Portanto, sim, existe a possibilidade de uma taxa de performance ser aplicada com o benchmark abaixo do CDI. No entanto, também é possível ocorrer uma taxa de performance menor ou até mesmo nula, mesmo que o benchmark supere o CDI.

Você pode acompanhar o histórico abaixo, observando que o benchmark tem se mantido acima do CDI.

Fonte: Quantum Axis e Anbima Feed. Elaboração Magnetis.

Em períodos muito curtos ele pode ficar abaixo. Por exemplo, no gráfico de média móvel de 6 meses, é possível notar que em certos momentos a linha azul (benchmark) acaba ficando abaixo da linha amarela (CDI), mas a tendência predominante é do benchmark estar acima do CDI.

Cada vez que a linha azul fica abaixo da amarela no gráfico abaixo, significa um período de 6 meses em que o CDI superou o IPCA + juros real. Note que existem diversas janelas de curto prazo onde este comportamento acontece, mas a tendência de longo prazo é que o índice de referência que adotamos seja mais desafiador, conforme demonstrado no gráfico anterior.

Períodos de 6 meses (126 dias úteis):  

Fonte: Quantum Axis e Anbima Feed. Elaboração Magnetis.

Atualizado há 3 meses atrás

Encontrou sua resposta?