Os ETFs que compõem as Carteiras Magnetis podem ser:

Para incluí-los em sua declaração de Imposto de Renda, é necessário:

  • Declarar o saldo em "Bens e Direitos"
  • Caso tenha feito operações de venda/resgate, declarar os rendimentos da aplicação na aba “Renda Variável".

Vamos ao passo a passo:


1. Informe de Rendimentos

Com seu informe de rendimentos - fornecido pela Easynvest - em mãos, verifique a seção "Renda Variável".

Exemplo:


2. Saldo em ETFs

Na aba “Bens e Direitos”, lance o saldo de cada um dos ETFs que você possuía em 31 de dezembro de 2017 e de 2018.

Você vai usar o código "74 - Fundo de ações, fundos mútuos de privatização, fundos de investimento em participação e fundos de investimentos de índice de mercado".

Preencha: 

  • Código: "74 - Fundo de ações (...)";
  • Localização (País): 105 - Brasil;
  • CNPJ do administrador do ETF ou da corretora Easynvest. (Aqui vale destacar um ponto: pelo segundo ano a Receita Federal disponibiliza o campo CNPJ no programa IRPF. Como o informe de rendimentos da Easynvest não traz o CNPJ do administrador do ETF, o entendimento do escritório Dian e Pantaroto (nosso parceiro na temporada do Imposto de Renda), é de que a Receita vai aceitar o CNPJ da instituição financeira responsável pelo informe de rendimentos, neste caso, a corretora Easynvest);
  • Discriminação: escreva o nome do ETF e a quantidade de cotas (está no informe). Lembrando que você deve declarar BRAX11 e SMAL11 separadamente; 
  • Situação em 31/12/2017;
  • Situação em 31/12/2018: aqui você vai informar o valor de aquisição dos ETFs, incluindo o custo de corretagem (veja abaixo onde encontrar essa informação no seu Painel de Controle Magnetis)

Você deve somar as compras de um mesmo tipo de ETF.

Exemplo:

  • Comprou 20 cotas do BRAX11 em 10/01/2018 pelo valor de R$ 1000 e pagou R$ 10 de taxa de corretagem.
  • Comprou mais 20 cotas do BRAX11 em 20/10/2018 pelo valor de R$ 1000 e pagou R$ 10 de taxa de corretagem.
  • Na declaração do IR, vai somar tudo relativo a BRAX11 para informar no campo Situação em 31/12/2018: R$ 2020.

No site da Magnetis você encontra os valores de aquisição e taxa de corretagem dos ETFs na seção "Histórico".

Peça ajuda!

Se você tiver dificuldade ou dúvidas para consolidar os valores de aquisição dos seus ETFs, entre em contato com o nosso time de atendimento ao cliente pelo email consultoria@magnetis.com.br, pelo chat, pelo telefone (11) 4380-8080 ou pelo WhatsApp (11) 9.9550-8080.


3. Rendimentos de ETFs

Caso você tenha vendido/resgatado ETFs em 2018, precisa informar o rendimento de seus investimentos.

Na aba “Renda Variável", no tópico "Operações Comuns/Day trade”, informe o lucro ou o prejuízo obtido em cada mês do ano em que ocorreram operações de venda. 

Lance esses valores na linha “Mercado à vista - ações”.

No fim da ficha de cada mês, você deve preencher o Imposto de Renda pago na fonte e o imposto pago via DARF.

Repita a operação para cada mês em que houve venda/resgate de ETF. 

  • Vale lembrar que você deve somar os resultados de todas as suas operações em ações ou ETFs no mês e lançá-las no campo “Mercado à vista - ações”. Não importa se elas tenham sido realizadas com a Magnetis ou não;
  • Se você tiver algum DARF em aberto, deve emitir um novo para o pagamento do imposto com multa e juros. O DARF com o valor atualizado pode ser emitido pelo programa SICALC, disponível no site da Receita Federal.

*Conteúdo revisado pela especialista em Direito Tributário Luciana Pantaroto, do escritório Dian & Pantaroto.

Veja também:

Encontrou sua resposta?