Os ETFs que compõem as Carteiras Magnetis podem ser:

Para incluí-los em sua declaração de Imposto de Renda, é necessário:

  • Declarar o saldo em "Bens e Direitos"
  • Caso tenha feito operações de venda/resgate, declarar os rendimentos da aplicação na aba “Renda Variável".

Vamos ao passo a passo:


1. Informe de Rendimentos

Com seu informe de rendimentos - fornecido pela Easynvest - em mãos, verifique a seção "Renda Variável".

Exemplo:


2. Saldo em ETFs

Na aba “Bens e Direitos”, lance o saldo de cada um dos ETFs que você possuía em 31 de dezembro de 2016 e de 2017.

Você vai usar o código "74 - Fundo de ações, fundos mútuos de privatização, fundos de investimento em participação e fundos de investimentos de índice de mercado".

Preencha: 

  • Código: "74 - Fundo de ações (...)";
  • Localização (País): 105 - Brasil;
  • CNPJ do administrador do ETF ou da corretora Easynvest. (Aqui vale destacar um ponto: esta é a primeira vez que a Receita Federal disponibiliza o campo CNPJ no programa IRPF 2018 e ainda não divulgou uma orientação clara sobre qual CNPJ informar. Como o informe de rendimentos da Easynvest não traz o CNPJ do administrador do ETF, o entendimento do escritório Dian e Pantaroto, é de que a Receita vai aceitar o CNPJ da instituição financeira responsável pelo informe de rendimentos, neste caso, a corretora Easynvest);
  • Discriminação: escreva o nome do ETF e a quantidade de cotas (está no informe). Lembrando que você deve declarar BRAX11 e SMAL11 separadamente; 
  • Situação em 31/12/2016;
  • Situação em 31/12/2017: aqui você vai informar o valor de aquisição dos ETFs, incluindo o custo de corretagem (veja abaixo onde encontrar essa informação no seu Painel de Controle Magnetis)

Você deve somar as compras de um mesmo tipo de ETF.

Exemplo:

  • Comprou 20 cotas do BRAX11 em 10/01/2017 pelo valor de R$ 1000 e pagou R$ 10 de taxa de corretagem.
  • Comprou mais 20 cotas do BRAX11 em 20/10/2017 pelo valor de R$ 1000 e pagou R$ 10 de taxa de corretagem.
  • Na declaração do IR, vai somar tudo relativo a BRAX11 para informar no campo Situação em 31/12/2017: R$ 2020.

No seu Painel de Controle na Magnetis você encontra os valores de aquisição e taxa de corretagem dos ETFs na seção "Histórico".

Veja este exemplo: 

Peça ajuda!

Se você tiver dificuldade ou dúvidas para consolidar os valores de aquisição dos seus ETFs, entre em contato com o nosso time de atendimento ao cliente pelo email ri@magnetis.com.br, pelo chat, pelo telefone (11) 4380-8080 ou pelo WhatsApp (11) 9.9550-8080.


3. Rendimentos de ETFs

Caso você tenha vendido/resgatado ETFs em 2017, precisa informar o rendimento de seus investimentos.

Na aba “Renda Variável", no tópico "Operações Comuns/Day trade”, informe o lucro ou o prejuízo obtido em cada mês do ano em que ocorreram operações de venda. 

Lance esses valores na linha “Mercado à vista - ações”.

No fim da ficha de cada mês, você deve preencher o Imposto de Renda pago na fonte (caso a operação seja em valor maior que R$ 20 mil) e o imposto pago via DARF.

Repita a operação para cada mês em que houve venda/resgate de ETF. 

-Lembrando que, se você tiver realizado operações em renda variável (seja com ações ou com ETFs) fora da sua Carteira Magnetis, todas as operações do mês devem ser somadas para compor o campo “Mercado à vista - ações”. 

-Se você tiver algum DARF em aberto, deve emitir um novo para pagamento do imposto dom multa e juros. O DARF com o valor atualizado pode ser emitido pelo programa SICALC, disponível no site da Receita Federal.

*Conteúdo revisado pela especialista em Direito Tributário Luciana Pantaroto, do escritório Dian & Pantaroto.

Encontrou sua resposta?